Augusto Simões dá boleia a um militar que viaja a pé entre o hospital de Bissau e a cidade, sem se aperceber de que ele é um companheiro seu da Escola de Música da Lousã, que morre seis meses depois.

José Oliveira

Leia a rubrica completa na edição n.º1464 do Trevim

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por admin
Carregar mais artigos em Nos Trilhos da Memória

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Mulher que vieste de longe – Joanne Gribler

Ouvir Maria Laranjeira O lugar continua lá! Mas a abóbada (Dome) há quatro anos que só tem…