Finda a sua comissão, José Santos aguardava em Moçambique pelo embarque, quando rebentou em Lisboa a revolução dos cravos. E outras prioridades se levantaram.

Iniciava-se a década de 70, quando entrei na Câmara Municipal para ser submetido à inspeção. Resultado: “Aprovado para todo o serviço militar”.

José Santos

Saiba mais sobre a historia de José Santo no Ultramar na edição n.º1460 do Trevim

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por admin
Carregar mais artigos em Nos Trilhos da Memória

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Novo livro de Aires Henriques

A publicação da obra “Um pedroguense com iniciativa e obra feita”, um fundamentado conjunt…