Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é João-Bernardo-Lopes-cor-1024x856.jpg
João Bernardo Lopes

Havia tomado posse no concelho há cerca de três anos, quando fui confrontado com uma situação bastante delicada que levou um funcionário à aposentação compulsiva e consequente demissão.

Este funcionário estava encarregado dos levantamentos na Tesouraria da Fazenda Pública que depois eram depositados na Caixa G. de Depósitos à ordem da Caixa Geral de Aposentações, e cujas importâncias pertenciam a todos os colegas, indo mais tarde influenciar os valores das suas aposentações.

            Mas, esqueceu-se, durante alguns anos, onde se situava a sede da filial da C.G.D, e em vez de efctuar os depósitos, metia-os ao “bolso” beneficiando deles em seu proveito. Durante o primeiro ano da minha tomada de posse, não procedeu a qualquer desvio, isto, por que teve medo que eu o descobrisse, já que tive de fazer um levantamento exaustivo aos serviços que iria chefiar. Na realidade esta situação passou-me ao lado, não obstante, aquele funcionário depender ainda  de um dos meus adjuntos. . .

Findo o meu trabalho de pesquisa e arrecadando verbas que poderiam estar no esquecimento, as falhas referidas vieram a ser por mim descobertas ao fim de três anos, dizendo respeito a dois períodos distintos, um antes e outro depois à minha posse.

Iniciei a pesquisa da frente para trás, vindo a encontrar em falta alguns milhares de escudos. De imediato telefonei à esposa daquele funcionário, informando-a das falhas da  responsabilidade de seu marido, e que deveria entregar nos cofres do Estado até às 16 horas do dia seguinte a importância em falta, ao mesmo tempo que a avisava com a frase… ” salve o seu marido”.

Efectivamente, apareceu nos serviços e sem me passar qualquer confiança deixou na secretaria ao cuidado de um  seu colega a importância em falta ,que de imediato mandei entregar na Tesouraria.

Levantei-lhe o respectivo auto, ao mesmo tempo que reiniciei a pesquisa, vindo a  encontrar-lhe, por duas vezes, novos desvios, já que se tratava de um trabalho moroso e que me obrigou a consultar centenas de documentos.

À medida que ia localizando as falhas, levantava os respectivos autos, que reduzi apenas a dois.

Averiguada a sua forma de viver, constatou-se que, dado o vencimento  por si auferido e ainda o de sua esposa, com um único filho e uma renda de casa relativamente barata, não se lhe conhecendo extravagãncias, vá se lá saber o porquê da sua atitude.

(O autor escreve sem obedecer ao último acordo ortográfico).

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por admin
Carregar mais artigos em Opinião

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Apresentação CDU

Apresentação CDU …