Enquanto um filho combate em Angola, dois vão para a tropa. Dois meses depois de regressar, embarcam ambos para Moçambique

Na minha geração, desde muito cedo se considerava inevitável ter de ir à tropa e com grande probabilidade ser mobilizado para a guerra colonial, que a ditadura designava por ‘guerra do ultramar’. E desde novo senti as consequências: quando procurava um emprego, era invariavelmente questionado se já tinha ido à tropa, pelo que, sem isso, não havia qualquer possibilidade de obtê-lo.

Fernando Bastos

Saiba mais na edição impressa do Trevim n.º1458

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por admin
Carregar mais artigos em Sociedade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Lousã perde contra Santarém e falha final do campeonato da 1.ª divisão

Decorria o minuto 32, com os lousanenses a vencerem por 3-0 a equipa de Santarém quando a …