As tarifas de resíduos sólidos urbanos devem deixar de estar indexadas ao consumo de água, num prazo até cinco anos, passando a ser calculadas em função da quantidade recolhida, segundo estabelece um Decreto-Lei publicado em dezembro de 2020 que aprova o regime geral da gestão de resíduos, transpondo diretivas da União Europeia.

Saiba mais na edição impressa do Trevim n.º1458

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Soraia Santos
Carregar mais artigos em Concelho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Posto de Saúde de Serpins continua fechado

Assim o é desde março de 2020, conforme o nosso jornal já noticiou, justificando a Adminis…