A Assembleia Municipal rejeitou, com 18 votos contra do PS e CDU e seis a favor do PSD e BE, uma proposta apresentada pelos sociais democratas que pedia a prorrogação da aplicação do tarifário social da APIN aos utilizadores do concelho, como “forma de alívio e apoio às famílias, empresas e instituições”, tendo em conta “as consequências económicas e sociais” da crise provocada pela pandemia de Covid-19.

Saiba mais na edição impressa do Trevim n.º1446

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Soraia Santos
Carregar mais artigos em Atualidade

Um comentário

  1. Carlos Ferreira

    Dezembro 20, 2020 às 7:54 pm

    No mês passado a minha mãe recebeu uma fatura com o valor de 50 euros, comparando a mesma fatura, com uma fatura de Sintra, o valor aplicado pela APIN e cerca de 70% mais caro.
    Nota: o consumo de água é muito semelhante em ambas as faturas!

    A água é um bem público, um bem comum, não um negócio!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Rally de Portugal Histórico passou na Lousã

Os condutores chegaram à Lousã, pela N236, vindos do concelho de Castanheira de Pera …