Assembleia aprova relatório e contas de 2019 e plano de atividades e orçamento para 2020

Parte do ano de 2020 já fica na história da Sociedade Filarmónica Lousanense (SFL), resultante da pandemia Covid-19, com o registo de anulações temporárias de todas as atividades e serviços nas suas três valências: Banda, Escola de Música e Coro Misto.

Ultrapassado esse período, Susana Correia, presidente da direção referiu que toda a atividade já foi retomada, mostrando, ao mesmo tempo, a confiança no encerramento anual da melhor maneira possível.

Perante a evolução positiva, a assembleia reuniu a 25 de setembro, pelas 21:30, nas instalações da Filarmónica, com a presença de 24 sócios. Por unanimidade aprovaram o relatório e contas de 2019, bem como o plano de atividades e orçamento para 2020.

Apesar do resultado líquido do exercício orçamental de 2019 ser negativo em cerca de seis mil euros, José Nunes, presidente da Mesa da Assembleia salientou que este prejuízo acaba por ser quase nulo, considerando o valor contabilizado nas amortizações do imobilizado.

De acordo com o relatório de 2019 a Banda registou 10 saídas e duas participações em projetos. Por seu lado, a Escola de Música manteve como principal objetivo proporcionar o ensino gratuito. Já o Coro Misto, no ano em que celebrou o seu 20.º aniversário, registou 16 participações em diversos eventos.

Objetivo forte da direção, caso obtenham projetos apoiados pela União Europeia, passa pela realização de obras no edifício-sede. Nestas destacam-se a conclusão na cave, o reabilitar do sótão e as de climatização.

No decorrer da apresentação do plano de atividades e orçamento para 2020, elaborado antes da pandemia, foi salientado por Susana Correia, através de adenda, que este surto deixou a SFL sem a generalidade das fontes de receita. Nesta área, sublinhou haver apenas a garantia do subsídio de 10 mil euros, atribuído pelo município da Lousã. O orçamento para 2020 apresentou no total a receita de 72 mil euros e na despesa 71 550 euros.

Numa redefinição de objetivos para o ano em curso, acrescentou terem implementado ajustes nos gastos com as valências. Outras iniciativas, porém, estão na tentativa de minorar as despesas fixas e considerar formas de gerir receitas sem colocar em causa as condições de higiene e segurança. Face a essa gestão adaptável à nova realidade, a direção pretende transitar para 2021 com serenidade, algum conforto financeiro e com todas as valências em atividade.

A concluir os trabalhos o empenhamento dos elementos da direção foi premiado pela assembleia, sendo proposto e aprovado um voto de louvor pela dedicação e pela forma hábil como tentam contornar as inúmeras dificuldades do presente.

Joaquim Seco

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por admin
Carregar mais artigos em Concelho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Governo rejeita em Poiares exclusividade às agregações no ciclo da água

O Governo viabiliza alguns projetos de autarquias que recorram isoladamente aos fundos eur…