Mais de dois mil alunos do Agrupamento de Escolas da Lousã (AEL) estão sem aulas presenciais após o Governo ter declarado o encerramento de escolas em todo o país como medida de contingência para travar a propagação do novo coronavírus.

Pedro Balhau, diretor do AEL, esclareceu ao Trevim que, neste contexto, com suspensão de todas as atividades letivas e não letivas até dia 9 de abril (data em que a situação será reavaliada) “também a maioria dos docentes está a desenvolver o seu trabalho a partir de casa” permanecendo no agrupamento apenas “equipas para serviços mínimos de limpeza, serviços administrativos e direção”.

Leia a notícia na edição impressa do TREVIM N.º1427

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por 
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

“Rebentos de Esperança” contra a violência doméstica

Campanha assinalou o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres …