Feliz Jornal e Próspero (em) 2020

A crise nos jornais é um dos assuntos mais graves da atualidade, muito especialmente nos jornais locais. Nos últimos 15 anos os jornais locais perderam mais de 30% de tiragem e mais de 35% dos seus jornalistas. Vários fatores têm contribuído para este flagelo: a massificação das redes digitais sociais e as suas consequências como a ilusão da informação instantânea e credível, os populismos, a superficialidade; a desvinculação dos cidadãos e das empresas aos jornais, até por questões económicas; a falta de tempo e a desmotivação para leituras críticas e reflexivas; o desinteresse pelos assuntos coletivos são apenas alguns dos fatores que estão na base da crise dos jornais locais.

Esta crise não provoca somente perda de postos de trabalho ou diminuição da dinâmica económica, direta e indireta, mas contribui também para a degradação da própria democracia. Sabe-se já que o desaparecimento de jornais locais contribui para eleitores menos informados, para uma maior abstenção e para a o distanciamento entre políticos e populações locais.

A independência dos jornais está, hoje mais do que nunca, limitada pela sua sustentação financeira. A necessidade de a manter contribui fortemente e de forma perversa para o condicionamento da produção jornalística, que se vê maniatada pelos interesses particulares que colocam em causa o verdadeiro interesse público.

O jornal TREVIM pretende manter a sua independência. Só assim garantimos um jornalismo que sirva os cidadãos e a comunidade. Contamos com o vosso apoio reforçado em 2020.

A todas e a todos que nos têm dedicado confiança e amizade – assinantes, empresas, leitores e instituições – os nossos sentidos desejos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo, com saúde, realizações e esperança.

Hélder Bruno Martins

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Carlos A. Sêco
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

Editorial – O Trevim em tempos de Covid-19

Ouvir Os tempos que atualmente vivemos tem sido tempos difíceis quer a nível das pessoas q…