O Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) alargou, até 30 de setembro, o período de licenciamento para as entidades titulares ou gestoras de zonas de caça que pretendam efetuar o controlo da população de javalis. Reconhecendo a “necessidade de continuar a realização de medidas para controlo de efetivos populacionais de javali, com vista à prevenção da peste suína africana (PSA)”, um edital do ICNF publicado a 28 de junho anuncia o “reforço de medidas para a minimização de danos causados em culturas agrícolas e florestais”. Para tal, as entidades responsáveis pelas zonas de caça terão de obter autorização do ICNF, entidade competente para credenciar as ações de correção de javalis.

Preocupação em países europeus

Recentemente a Comissão Europeia delimitou novas zonas de risco nos estados-membros depois de se terem confirmados casos de peste suína africana em animais de origem doméstica na Bulgária. Segundo a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), “o vírus da PSA não representa qualquer perigo para a saúde humana”, contudo, “devido à sua gravidade e rápida evolução, a doença tem um elevado impacto social e económico, pelas perdas provocadas”.

Leia a notícia completa na edição impressa do Trevim N.º1410

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por 
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

Quatro detidos em festa ilegal com 31 pessoas no Catarredor

A detenção surgiu na sequência de uma denúncia de uma festa numa moradia, na aldeia do Cat…