Um dia antes de se completarem 32 anos do falecimento de José Afonso, em 1987, em Setúbal, mais de 60 pessoas juntaram-se no restaurante Portas Largas, na Lousã, em 22 de fevereiro, para evocar a vida e obra de Zeca Afonso.

Mais uma vez, a melhor forma que a organização encontrou para homenagear o autor de “Grândola, Vila Morena”, senha escolhida pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) para dar início à Revolução dos Cravos, no 25 de Abril de 1974, foi reunir amigos e artistas à volta da mesa, tal como o próprio gostava de fazer.

E foram vários os músicos presentes no jantar concerto. João Queirós, Luís Garção, Luís Formiga, Arménio Santa e Santos Simões arrancaram das guitarras, concertina e “cajón” as notas que permitiram revisitar a obra de Zeca Afonso, nascido em Aveiro, em 2 de agosto de 1929.

Leia a notícia completa na edição impressa do Trevim n.º 1399

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Márcio Carinhas
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

ADFP quer móveis trazidos por refugiados sírios

Ouvir Após os 18 meses em que esteve acolhida pela Fundação ADFP, de Miranda do Corvo, no …