O certame contou com a presença de oito apicultores, contudo não houve mel certificado à venda já que, à data da feira, a entidade certificadora – Sativa – ainda estava em fase de recolha das amostras do néctar candidato à certificação.

O processo, com um custo significativo, deixa de ser uma opção para produtores detentores de pequenas quantidades de mel, que optam por não formalizar o pedido, explica o presidente da Cooperativa Lousamel, António Carvalho, em declarações ao Diário As Beiras.

Segundo Paula Leal, da Câmara Municipal de Penela, a diminuição da produção de mel refletiu-se “muito” na quantidade do produto à venda durante o certame. Os apicultores apontaram os incêndios de 2017 e o impacto da vespa asiática como os “dois fatores que mais influenciaram na quebra de produção deste ano”.

Continua na edição impressa do Trevim nº 1387

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por 
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

Episódios de vida – Samora Machel e a Srª D. Maria Ferrolho

"Episódios de vida", uma crónica de João Bernardo Lopes …