Foi adjudicada pela empresa pública Infraestruturas de Portugal dia 11 de janeiro à empresa Contec – Construção e Engenharia, S. A., pelo valor de 296 908,16€, a empreitada de construção de uma rotunda na variante à EN342, de forma a facilitar o acesso ao novo Centro de Saúde da Lousã, construído a nascente da vila da Lousã, próximo do Casal do Espirito Santo. Como se sabe, a falta deste acesso direto ao equipamento causa vários constrangimentos aos utentes que ali se deslocam em viatura própria. Se, por um lado, se veem obrigados a circular por vias adjacentes (pelas Regadas, por exemplo), por outro, poderão ter de ir fazer inversão de marcha à Sarnadinha, caso pretendam seguir na direção de Coimbra. A nova rotunda promete resolver estas questões.

De acordo com nota de imprensa da Câmara Municipal da Lousã, a empreitada engloba a reformulação geométrica do atual cruzamento, trabalhos de pavimentação, reforço e readequação da sinalização e de equipamentos de segurança, preservação da envolvente através de integração paisagística, instalação de iluminação pública e melhoria dos sistemas de drenagem.

Recorde-se que o acordo de gestão entre a Infraestruturas de Portugal, I.P, a empresa Ascendi concessionária da via e o Município da Lousã foi assinado na Lousã em 29 de junho de 2017, numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme D’Oliveira Martins. Com a adjudicação, segue-se a consignação da obra, após a qual a empresa tem um prazo de execução de 89 dias para concluir a empreitada. “Esta é uma intervenção importante que vai melhorar – a vários níveis – a circulação automóvel na zona do Centro de Saúde, concretizando assim um importante objetivo definido pela Câmara Municipal”, considera o presidente da autarquia da Lousã, Luís Antunes, no comunicado enviado.

Continua na edição impressa do Trevim n.º 1372

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Márcio Carinhas
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

ADFP quer móveis trazidos por refugiados sírios

Ouvir Após os 18 meses em que esteve acolhida pela Fundação ADFP, de Miranda do Corvo, no …