Patrícia Carvalho

A Aigra Nova – uma aldeia do concelho de Góis – ainda preserva a sua cultura e, por isso, no dia 11 de fevereiro, a Lousitânea – Liga de Amigos da Serra da Lousã, desenvolveu um conjunto de atividades, para manter viva a sua tradição. Este evento, vivo pelos habitantes da aldeia e por todos os interessados pela cultura portuguesa, esteve inserido no calendário de animação das aldeias de xisto de Góis e foi dinamizado em parceria com a Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto (ADXTUR), atraindo cerca de uma centena de pessoas de vários pontos do país e, inclusive, da Europa.

De máscaras artesanais com caraterísticas diabólicas, todas feitas de cortiças oriundas da serra que envolve esta aldeia, cerca de trinta foliões apresentaram-se de forma pouco convencional com roupas coloridas de padrões muito divergentes. A ideia era tornarem-se irreconhecíveis e, no meio de muitas manifestações do Entrudo dos montanheses, fazer rir quem por ali passasse.

As concertinas, os tambores e os chocalhos resistiram ao samba, mantendo o que é genuinamente português. Entre bugalhas e caruma atiradas pelos foliões, os participantes saíram da Aigra Nova, às 9:30, para a XII Corrida do Entrudo das Aldeias de Xisto de Góis, passando por várias aldeias do concelho de Góis e da Lousã – Pena, Cerdeira, Ponte Sótão e Aigra Nova – sendo o seu transporte assegurando por dois autocarros da Câmara Municipal de Góis.

 

Continua na edição impressa do Trevim n.º 1372

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Carlos A. Sêco
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

Editorial – O Trevim em tempos de Covid-19

Ouvir Os tempos que atualmente vivemos tem sido tempos difíceis quer a nível das pessoas q…