A proximidade da Igreja aos cidadãos e o bom relacionamento entre as duas instituições – Câmara e Igreja – foram salientados pelo presidente da Câmara Municipal da Lousã, na cerimónia de receção ao Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes, que iniciava naquele dia, 19 de janeiro, a sua visita à Unidade Pastoral da Lousã. “É uma honra poder recebê-lo nos Paços do Concelho, é motivo de satisfação constatar que tem esta atitude de proximidade com a comunidade lousanense”, frisou o autarca, salientando o significado acrescido que esta visita tem para o concelho, na sequência do incêndio de 15 de outubro que afetou especialmente a freguesia de Serpins.

Recebido no Salão Nobre dos Paços dos Concelho pelo presidente da Câmara da Lousã, Luís Antunes, e pelo presidente da Assembleia Municipal da Lousã, Carlos Seco, D. Virgílio Antunes reforçou a boa cooperação entre a Câmara e as entidades religiosas. “A visita aos Paços do Concelho tem uma importância grande para mim, é um sinal da relação de cooperação que existe entre as diferentes instituições. Foi um caminho que se foi fazendo, teve momentos de crise acentuada no que diz respeito à relação entre a Igreja e o Estado, mas a igreja fez caminho, o Concílio Vaticano II foi o ponto de partida para uma nova visão das relações, entre nós foi decisiva a revolução de 1974”, salientou D. Virgílio Antunes.

 

Continua na edição impressa do Trevim nº 1371

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Márcio Carinhas
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

ADFP quer móveis trazidos por refugiados sírios

Ouvir Após os 18 meses em que esteve acolhida pela Fundação ADFP, de Miranda do Corvo, no …