Luís Neves, um dos sócios da NaturApproach que viu a sua exploração de caprinicultura ser engolida pelas chamas, no dia 15 de outubro, na Fonte Fria, Serpins, começa a ter alguns motivos para sorrir. Dos 55 animais que sobreviveram, algumas cabras estavam prenhes, e deram à luz 36 crias.

Receando que muitas abortassem, é com satisfação que o produtor olha para os seus 95 animais, aos quais se vão juntar mais 26 cabeças que foi buscar na sexta-feira à Lourinhã. Uma oferta da Associação de Criadores e Reprodutores de Gado do Oeste (ACRO), que a NaturApproach não sabe como agradecer.

“Temos tido mais apoios de pessoas que até não conhecemos do que propriamente do Estado”, salienta o empresário, que preparou um espaço de quarentena para os novos animais se instalarem e não estarem em contacto com as cabras pré-existentes, como medida preventiva de aparecimento de doenças. Quanto a apoios da Junta de Freguesia de Serpins e Câmara Municipal da Lousã, Luís Neves é perentório: “Têm-nos dado todo o apoio que podem dar, é evidente que não podem fazer tudo”.

 

Continua na edição impressa do Trevim n.º1366

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Márcio Carinhas
Carregar mais artigos em Arquivo
Secção de comentários fechada.

Veja também

ADFP quer móveis trazidos por refugiados sírios

Ouvir Após os 18 meses em que esteve acolhida pela Fundação ADFP, de Miranda do Corvo, no …